Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

NOVIDADES E EVENTOS

22/10/19

Desabamentos de prédios: o que eles têm a nos ensinar

Muito pertinente o assunto do portal 4.oito sobre as estruturas de prédios de Criciúma veiculada no dia 21 de outubro, com matéria de Heitor Araújo. O conteúdo lembra que a cidade está cada vez mais verticalizada. E que normas técnicas são exigidas quando às novas construções. E que as antigas, ponto crucial, passam - ou devem passar - por readequações para cumprir as determinações em termos de segurança. Conforme o portal, a Defesa Civil atende de 10 a 12 prédios por mês, com vistorias que podem ou não solicitar reformas estruturais nas construções.

Além, claro de vistorias por parte de bombeiros, esses focados em atendimento das normas contra incêndio, desde a existência de extintores em lugares visíveis em qualquer ambiente de uso público – condomínios residenciais, condomínios comerciais, lojas, clinicas, instituições religiosas, de ensino, públicas, etc. - bem como saídas de emergências, claro. A matéria fala que em Criciúma não há nenhum caso de prédio que apresente o que chamamos de “ situação de colapso estrutural”, sendo que a grande maioria das vistorias da Defesa Civil, cerca de 90%, exigem apenas reparos simples nas construções – rachaduras ( que demonstram que algo não vai bem) , infiltrações ( que trazem grandes consequências que só são vistas quando em estado avançado) ou algum problema de menor risco. O último caso citado - da ESUCRI – onde a estrutura se mostrou em colapso, a Embraconi refez o pilar colapsado, bem como uma reforma geral, inclusive de ordem estética. Mas não antes de se fazer uma pericia técnica aprofundada.

Recomendamos, nestes casos e até em reformas menores, que se faça uma perícia antes do orçamento, planejamento e , óbvio, obra. A perícia – que deve ser feita por engenheiro especializado – é sempre o caminho correto para que a reforma ou reparo de uma edificação seja feita da forma correta. Sem risco da patologia voltar, ou ser maior do que se imagina. Só então, com um laudo correto nas mãos, se pode garantir um bom resultado. Só assim se tem segurança ao fazer os reparos , durante e depois da obra feita. Tal assunto veio à tona por conta dos últimos desabamentos de prédios no Brasil – Rio de Janeiro e Fortaleza. Um por construção feita sem engenheiros competentes , sem vistoria e sem estrutura e materiais adequados. O mais recente, Edifício Andreia, em Fortaleza, por uma acúmulo de erros: sem estrutura inicial adequada, reforma na cobertura com aumento de carga ( piscina) sem autorização e, para nossa surpresa, a contratação de construtora não acostumada com esse tipo de problema. Quando se vê um pedreiro descascando pilares sob a orientação de engenheiro e proprietário da construtora, se entende a necessidade e importância de uma boa contratação. E não só pelo preço.

Então, ficam as dicas:

- Mantenha seu imóvel sempre em dia com as normas e com as manutenções necessárias, seja ele de moradia própria ou de aluguel;

- Lembre-se que síndicos tem responsabilidade legal sobre os problemas, em caso de condomínios;

- Faça vistorias permanentes para constatar qualquer problema antes que se agravem - principalmente quando houver obra nos arredores , tempos ininterruptos de chuvas, alagamentos e até ventos fortes;

- Contrate  uma construtora com engenheiro  e com experiência no ramo para que os serviços sejam garantidos;

- Faça a reforma e/ou ampliação baseado em um laudo técnico.  

Em caso de dúvida, a Construtora Embraconi está à disposição. 

Joyce Diehl,arquiteta, para a Construtora Embraconi. Veja matéria na integra em https://www.4oito.com.br/noticia/as-estruturas-dos-predios-de-criciuma-20527