Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

NOVIDADES E EVENTOS

18/12/17

Reformar a casa onde mora, comprar um imóvel usado e reformar - ou começar do zero?

Reformar a casa onde mora, comprar um imóvel usado e reformar  - ou começar  do zero? Essas dúvidas povoam a cabeça de todos que querem melhoria no morar. E quem não quer? Como tudo na vida, cada um tem suas vantagens e desvantagens. Vamos lá?

Pode ser  interessante reformar o imóvel em que moramos, pois já estamos acostumados com a localização, a vizinhança e tudo o mais. E, volta e meia,  queremos – ou devemos – fazer melhorias. Uma coisa é a chamada manutenção. Essa é necessária por conta de desgaste pelo tempo. Pinturas devem ser refeitas em no máximo dois anos, principalmente a externa, por conta da ação do sol, chuva, umidade, etc. Aproveite para rever impermeabilizações, analisar e arrumar trincas, possíveis bolhas, etc. E, porque não, trocar a cor?  Nova cor traz novos ares, e a casa fica parecendo nova.

Quanto às instalações elétricas e hidráulicas, fique atento aos pequenos probleminhas que podem virar problemão: uma luz que pisca volta  e meia, uma tomada que solta faíscas ao ser utilizada, a água que se perde no vazamento da descarga do banho, o pinga - pinga no chuveiro. Mas nada de quebra-quebra antes de realmente saber se é necessário, para a manutenção não virar reforma. Chame um responsável e verifique as instalações feitas na planta - se ela existir.

Falando em plantas, essa pode ser sua maior dificuldade ao comprar uma casa ou apartamentos usados.. Em prédios, é obrigatório que o síndico tenha essas plantas todas, mas isso pode ser complicado se o prédio é mais velho ou foi construído pro alguma construtora que não mantém a documentação como deveria. Em casas, reze para que o proprietário as tenha. São o “mapa” de início de tudo, principalmente a planta estrutural ( mostra fundações, pilares, vigas, etc.) e as plantas das instalações de água e esgoto ( cadê a caixa de gordura? Onde descem as prumadas de canos de água?)  e elétricas ( mais difíceis de encontrar, mas mais fáceis de resolver na obra). Sem essa documentação, não se sabe que modelo de estrutura foi feita a casa – se de tijolos maciços, presente nas casas antigas; se pilares e vigas, que podem estar escondidos pelo acabamento, etc. Nesse caso, e em todos os outros, com certeza, peça a análise prévia de um engenheiro.

Veja outras dicas:

- Se vai reformar a casa ou apartamento onde mora, lembre-se de arranjar ou alugar temporariamente outro lugar para morar, para não aumentar o estresse e/ou atrasar as obras;

 - Imóveis usados podem custar mais baratos que obra nova, mas devem ser levados em conta os gastos com a reforma/melhoria; no caso de apartamentos mais antigos, as plantas normalmente são maiores em termos de metros quadrados, mas os gastos são proporcionais por conta de instalações ultrapassadas – inclusive de tomadas, TVs a cabo, aquecedores,  ar refrigerado, etc.;

 - No caso de reformas, opte por matérias mais inteligentes, como kits de porta prontos, rodapés idem, laminados para pisos de quartos, paredes e nichos de gesso acartonado, etc. Quanto menos espera da cura de materiais envolvidos, quanto menos alvenaria,  argamassas de pisos e paredes, mão de obra envolvida, melhor. Leve isso em consideração na hora dos orçamentos: tempo é dinheiro;

- Casas novas dão liberdade de estudo de uma planta personalizada com seu estilo de vida, mas leve em conta o terreno para não ter gastos imprevistos ( já falamos desse assunto por aqui);  Apartamentos novos, na maioria das vezes, podem ter a planta modificada, mas com muito mais empecilhos, por conta da localização de áreas molhadas ( cozinhas, banheiros, etc.), pilares, vigas, fachada, etc.;

 - Imóveis novos estão mais adaptados para as novas instalações pedidas, como mais tomadas, maior capacidade de carga elétrica, passagem de cabos, de internet, instalações de casa inteligente, fechaduras eletrônicas, alarmes  e tudo o mais  para aceitar e suportar a quantidade de equipamentos eletrônicos que costumam ser usados hoje; para isso, se faz imprescindível um bom projeto disso tudo, seja no arquitetônico , para um bom planejamento e posicionamento, seja das instalações a serem feitas;

 

A dica mais importante em qualquer uma das opções pensadas é: não comece nada sem planejamento. Você vai precisar de um arquiteto para pensar junto com você as modificações desejadas  e ter um resultado realmente interessante. O arquiteto ( ou arquiteta)  pode derrubar  - e se responsabilizar -  uma parede ou outra, mas seria melhor conversar com um engenheiro, que pode ficar responsável por toda a modificação feita, caso haja paredes a retirar ou a construir. Um bom engenheiro pode até ajudar antes da compra, pois vê o que não vemos em relação de algum problema ou deficiência da casa ou apartamento. O que nos parece uma simples bolha na pintura pode ser sinal de alta umidade escamoteada. E até para um orçamento prévio de gastos com as melhorias e modificações. Porque trocar de imóvel e/ou fazer uma modificação ou reforma são para melhorar a nossa vida, não para complicá-la ainda mais. Pense nisso! E se precisar de ajuda, conte com a Embraconi!