Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

NOVIDADES E EVENTOS

01/04/19

Formatos grandes de revestimentos pedem cuidados da escolha à colocação

A grande tendência em revestimentos, sejam eles para pisos ou paredes,  e bem além da estética, são os novos formatos, cada vez maiores. Vê-se nas novas coleções porcelanatos que chegam a 1,20 x 120 cm,  140 x 140 cm quando quadrados e incríveis 2,40 ou até 3m x 120cm para retangulares.  Ou a maior delas produzida no Brasil: 1,6 x 3,2m.

Que tal ver os cuidados, vantagens e desvantagens de usar produtos tão grandes? O preço por m2 sempre é maior porque pede tecnologia avançada de produção – o que interfere nos valores. Mas podem existir outros valores a mais que não estão embutidos na compra.

Revestimentos de maior dimensão trazem ares requintados, contemporâneos, e se usados em uma sala pequena, a sensação de amplitude é maior, mas podem deixar os espaços menores, como banheiros, com a impressão contrária, porque pedem paredes exatamente prumadas para não pedir cortes difíceis de fazer.  Isso de for usada junta “imperceptível” ( tamanho e cor de rejunte, por exemplo) ou, como algumas marcas que vendem a ideia de junta seca. Para quem constrói, juntas secas só são usadas em caso de obras bem feitas ( dificilmnete em reformas) , com produto extremamente acertado em suas dimensões e planicidade ( não envergamento). Melhor efeito ainda se as placas maiores forem em tons neutros, como tons de bege e de cinza, de uma só cor ou com veios bem discretos, e melhor ainda se não tiverem brilho como acabamento, pois esse ressaltam os defeitos de colocação.

Mas para que tudo isso ter resultado adequado, precisa de mão de obra especializada.  Certifique-se de que o instalador tem prática nesse tipo de trabalho, da preparação do piso e nivelamento da superfície de contrapiso antes da aplicação dos pisos com argamassa colante especial  e com a chamada dupla colagem – cola no piso e cola na peça a ser colocada – independente de ser piso ou parede. Alguns acessórios podem ser necessários para que o resultado saia perfeito.

E vale lembrar a questão de logística: o revestimento comprado passa pelas aberturas e /ou corredores no caso de obras térreas? Ou cabe no elevador, ou passa pelos corredores ou escadas no caso de edifícios, sejam eles comerciais ou residenciais? Caso tenha que contratar monta carga ou içamento, e esse custo deve constar no orçamento de sua escolha. Pese tudo isso antes de escolher, bem além da estetica. Ou do modismo.

 

Joyce Diehl, arquiteta, especilizada em revestimentos.