Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

NOVIDADES E EVENTOS

05/05/19

Como construir sem dor de cabeça?

Muita gente tem dúvida do passo  a  passo para se ter um  boa casa. Parece simples, até óbvio, mas chegam muitas pessoas querendo orçar uma obra sem projeto, por exemplo. Construtoras não fazem projetos: orçam e constroem. Podem auxiliar nos projetos, mas não fazê-los nem substituir ninguém.

Primeiro você deve ter um terreno. Dai, sim pode escolher algum profissional para fazer o projeto da casa, que é chamado de projeto arquitetônico. O profissional escolhido – arquiteto ou engenheiro civil  -  pode pedir um levantamento do terreno, que deve ser feito por um topógrafo ou engenheiro agrimensor. E bem antes disso, uma prévia para ver as possibilidades e entraves na prefeitura – cada bairro, terreno, vizinhança, tem um zoneamento especifico e deve ser consultado. Por isso se chama de  consulta prévia, que pode ser pedida até antes do projeto – e muitas vezes até antes da compra do terreno, na prefeitura. Assim, nada de surpresas  - nem no projeto, nem na obra. Outra coisa que pode ser pedida é a avaliação do solo, que o engenheiro do projeto estrutural deve pedir antes do começar o projeto.

Vale lembrar que o projeto arquitetônico deve seguir um padrão para apresentar à prefeitura  - implantação, plantas baixas, cortes, vistas, fachadas, quadro de esquadrias, etc.- e outros para facilitar o seguimento da obra, os chamados detalhamentos ( de forma resumida: revestimentos, gesso, posicionamento correto de instalações elétricas, hidráulicas, de louças, metais, especificação básica de materiais, quadro de esquadrias, etc.). Quanto mais detalhado esse serviço, mais facilidade de tocar a obra sem interrupções.  

Após o projeto arquitetônico aprovado pelo cliente – e pelos órgãos competentes, como prefeitura, para ver se não há qualquer se não no projeto - , o próximo passo é contratar o projeto estrutural e, preferencialmente, os projetos hidráulico e elétrico. Isso tudo facilita o andamento da obra e, bem antes disso, o orçamento correto da mesma.

Projetos na mão, é hora de ver a compatibilidade deles – arquitetônico, topográfico, elétrico, hidráulico e outros que se façam necessários - e isso um engenheiro pode fazer. É o tal compatibilização de projetos para posterior gerenciamento de equipe, uma parte imprescindível para que não haja atrasos e desperdícios na obra,  e que deve ser feito antes de começar qualquer coisa.

Esse passo pode ficar a cargo na construtora contratada – e aqui começa a diferença de construtora, com engenheiro(s) e empreiteiras ( sem engenheiros). Não tem como fazer uma boa obra sem a supervisão de um engenheiro. Todo cuidado é pouco. Se a base da obra – fundação e estrutura – não ficam boas, a obra também não.

Tudo pronto. Podemos começar. Projetos na mão e ao alcance de todos na obra, cronograma feito, E fica a cargo da construtora seguir os projetos a risca, entrar em contato com arquiteto quando aparecer dúvidas, pedir projetos de revestimentos, gesso, etc. e  detalhamentos de cada serviço e de cada espaço. E passar com prazo a lista dos materiais de acabamento a serem escolhidos e encomendados, cobrar dos profissionais algum detalhe ou projeto faltante, tirar dúvidas com os mesmos, alinhando ideias e fazendo uma ponte técnica, resolvendo as duvidas e problemas que o cliente ou até os profissionais venham a ter.  

Sobre as compras de produtos e/ou a contratação de serviços, a construtora se responsabiliza, dentro do orçamento inicial  e cronograma lançado. Controla os produtos em obra, os prazos, as validades, o serviço feito, e o levantamento de tudo que é gasto, seguindo o orçamento inicial levantado. E pode auxiliar na escolha de produtos, caso haja dúvidas sobre produtos e marcas, podendo indicar ou até vetar alguns, por incompatibilidade ou problemas já sabidos ( isso acontece com certa frequência). Tudo para que o cronograma seja seguido, bem como o orçamento da obra.

Em resumo, seria esses os papeis de uma boa construtora. Administrar a obra dentro de um cronograma e orçamento iniciais – e administrar os possíveis atrasos ( que podem ser até por chuva, por exemplo,  em algumas fases). Com certeza, a forma mais tranquila, correta e barata,  se o cliente pôr no papel.  A certeza de seu sonho ficar como o desejado, e ser realizado sem dores de cabeça. Ou atrasos.

 

Joyce Diehl, arquiteta, para Construtora Embraconi.